A Escatologia e as Posições Escatológicas  


1 – SIGNIFICADO E IMPORTÂNCIA DA ESCATOLOGIA 

Escatologia é o estudo das “últimas coisas”, ou seja, que estão reservadas para o futuro do homem e do mundo. Trata, basicamente, do período do arrebatamento, das ressurreições, da tribulação, da volta de Cristo, do milênio e do juízo final. 
Assim como outras áreas da Teologia, a escatologia é bastante complexa e apresenta inúmeras dificuldades. Isso faz com que muitos considerem seu estudo de importância secundária, mas essa é uma visão inexata.  

Objetivos do estudo da escatologia pelos crentes: 

 Oferecer alegria em meio à aflição (2Co 4.17; 1Ts 4.18);  Encorajar a viver em santidade (1Jo 3.3);  Ajudar no ensino e na correção dos crentes, já que faz parte das Escrituras (2Tm 3.16,17);   Fornecer informações sobre a vida futura (2Co 5.8). 
 
2 – VISÃO PÓS-MILENISTA 


Consiste na crença de que o “milênio” deve ser um período indefinido de tempo na própria era em que vivemos, sendo que Jesus voltará ao final desse período. A. H. Strong, em seu livro Teologia Sistemática, esse milênio seria: 
“Um período, nos dias finais da igreja militante, quando, sob a influência especial do Espírito Santo, o espírito dos mártires deverá ressurgir, a verdadeira religião será grandemente estimulada e revivida, e os membros das igrejas de Cristo ficarão tão conscientes da sua força em Cristo que chegarão a uma abrangência antes desconhecida e triunfarão sobre o poder do mal tanto dentro quanto fora dela.”   Para os pós-milenistas, um “período dourado” de paz e harmonia se instalará nos últimos dias da nossa era, quando os cristãos serão dominantes no mundo e Satanás estará amarrado de uma maneira especial. Esse período será encerrado pela volta de Jesus e seguido da ressurreição e dos julgamentos.  
Quanto às alianças e promessas não cumpridas ainda em relação a Israel (que os dispensacionalistas afirmam que serão cumpridas no milênio), os pós-milenistas dizem estar sendo cumpridas hoje com a igreja (para os pós-milenistas, não há distinção entre Israel e igreja e a igreja atual é o Israel de Deus).  
Essa posição cresceu, principalmente na segunda metade do segundo milênio, devido aos avanços obtidos pelos homens. Acabou por perder força após as guerras mundiais. 
 
3 – VISÃO AMILENISTA 

O amilenismo defende a inexistência de um “milênio” antes do fim do mundo. Postula que haverá sempre dois reinos, o de Deus e o pertencente a Satanás, até que Jesus volte e promova a ressurreição e o juízo. Quanto ao milênio em si, alguns amilenistas pensam se tratar do que a igreja vive hoje na Terra, enquanto outros acham que se trata da realidade dos santos atualmente no céu.  
No tocante às alianças e promessas não cumpridas ainda em relação a Israel, os amilenistas dizem que elas não precisam se cumprir, pois eram promessas “condicionais”. Para tanto, o amilenismo utiliza, principalmente, uma hermenêutica fundamentalmente “alegórica” para interpretar os profetas do AT. 
Importante: Nem o pós-milenismo, nem o amilenismo creem em um reinado futuro de Cristo na Terra.  

4 – VISÃO PRÉ-MILENISTA 

É a visão que afirma que a Segunda Vinda de Cristo se dará antes do milênio. Isso abrirá o cronômetro para um período de tempo de mil anos nos quais Cristo vai reinar. Também entende que haverá nesse período,
além de juízos, ressurreições. Terminará com o Grande Trono Branco, o juízo final. Dentro dessa visão há certa discordância sobre quando ocorrerá o arrebatamento da igreja. 
Para que alguém seja pré-milenista, é imperativo que creia firmemente na Bíblia como a Palavra de Deus inspirada e inerrante e utilize uma interpretação normal ou literal das Escrituras, também chamada de interpretação histórico-gramatical. 
Quanto às alianças e promessas não cumpridas ainda em relação a Israel, os pré-milenistas creem que serão todas cumpridas durante o milênio, quando Cristo reinará na Terra (2Sm 7.11-16), restaurará a nação de Israel (Jr 31.31-34; Ez 36.24-36) e lhe dará a terra prometida a Abraão (Gn 15.18-21) e que nunca foi antes “plenamente” possuída pelos israelitas – notar que o texto indica como limite Norte o rio Eufrates, o que significa que essa terra incluirá o território do Líbano e um pedaço da Síria. 
Os pré-milenistas fazem distinção entre Israel e a igreja. Para eles, Deus tem planos históricos para cada um deles.  

AS ALIANÇAS INCONDICIONAIS DE DEUS COM ISRAEL 

a) Aliança Abraâmica — Promessa da TERRA a Abraão (Gn 12.1-3; 15.18-21). b) Aliança Davídica — Promessa de um TRONO perpétuo a um descendente do Davi (2Sm 7.11-16). c) Nova Aliança — Promessa de um novo TRATO com Deus por meio da conversão nacional (Jr 31.3134; Ez 36.24-36; Jl 2.28-32).   


Os Últimos Dias  


1 – O QUE SÃO “OS ÚLTIMOS DIAS”? 

O que entendemos na Bíblia pela expressão “últimos dias” é que não se trata apenas dos dias imediatos que antecedem o arrebatamento da igreja, mas de toda a era da “Igreja Cristã”.  
Assim, os limites (início e final) dos “últimos dias são”: 
 Início com o Pentecostes (Atos 2);  Fim com o arrebatamento da igreja, que envolve a ressurreição dos salvos e arrebatamentos dos crentes vivos (1Ts 4.13-17; 1Co 15.51-58).  

2 – EVENTOS QUE ENVOLVEM O FINAL DA ERA DA IGREJA 

Apesar de todo esse período compreender os “últimos dias”, algumas situações se intensificarão com o decorrer da história até que a igreja seja arrebatada: 

A) O aumento da apostasia — O abandono da fé caracterizará esse período (2Tm 3.1-5).  
As características dessa apostasia são: 


a) Desvios doutrinários  Negação da doutrina da Trindade (1Jo 2.22,23);  Negação da doutrina da encarnação de Cristo (1Jo 2.22; 4.3; 2Jo 7);  Negação da doutrina da volta de Cristo (2Pe 3.4). 

 b) Estilo de vida compatível com a apostasia (2Tm 3.1-5; Mt 24.12; 2Pe 2.2). 
B) Preparação para a igreja ecumênica — Durante a primeira metade da Tribulação, a igreja ecumênica chegará ao seu apogeu.  

As características dessa igreja serão:  

a) Abrangência mundial (Ap 17.15); b) Infidelidade ao Senhor e à verdade (note-se o termo “meretriz” em Ap 17.1,5,15,16); c) Promoção de grandes alianças políticas (Ap 17.12,13); d) Perseguição contra os santos da tribulação (Ap 17.6).  
C) Falsos Cristos e falsos profetas, guerras e catástrofes — Antes que se inicie a Tribulação, haverá na era da igreja o surgimento de homens que dizem ser o próprio Cristo.  
Além de falsos profetas, haverá guerras e ameaças de conflitos internacionais e eventos catastróficos naturais como terremotos, doenças e fomes (Mt 24.3-8,11; Lc 21.11; 2Pe 2.1-3).  
D) Perseguição da Igreja — A igreja de Cristo, odiada pelo mundo, será perseguida até a morte em muitos lugares (Mt 24.9,10).













A Visão de Daniel sobre um Carneiro 

e um Bode, 8:1-27  


Um carneiro de dois chifres, 8:1-4. 8:1-2 S Esta visão aconteceu no terceiro ano de Belsazar, o que faz com que tanto este como o sonho registrado em Daniel 7  tenham ocorrido antes dos acontecimentos de Daniel 5. Na visão Daniel encontrou-se em Susã, junto ao rio Ulai, em Elão, a leste da Babilônia. 8:3-4 S Junto ao rio estava um carneiro de dois chifres, um chifre mais alto do que o outro. Este carneiro avançava em todas as direções e ninguém podia dominá-lo, por isso ele se tornou grande. Os chifres deste carneiro são identificados em 8:20 como os reis da Média e da Pérsia.
B. O bode com um só chifre vence o carneiro, 8:5-8. 8:5-6 S Então Daniel viu chegando do oeste um bode com um notável chifre entre os olhos. Este bode correu contra o carneiro com a força de fúria. Este bode é identificado em 8:21 como o rei da Grécia, e o grande chifre como o primeiro rei, que seria Alexandre, o Grande. 8:7-8 S O bode quebrou os dois chifres do carneiro e atirou-o no chão. Ele então se engrandeceu, mas enquanto ele era forte, o chifre grande foi quebrado e, em seu lugar, nasceram quatro chifres. Alexandre morreu quando tinha apenas 33 anos. A partir de seu império desenvolveram-se:  ì Ptolomeu (Egito);  í Seleuco I (Síria); î Antipater (Macedônia); ï Lisimaco (Trácia e Ásia Menor).

C. O poder do chifre menor, 8:9-14. 8:9-10 S Um chifre menor nasceu de um dos quatro chifres e se tornou excessivamente grande, descrito mesmo como lançando algumas das estrelas por terra. 8:11-12 S Ele se engrandeceu a ponto de afastar os sacrifícios e derrubar o santuário; até mesmo a verdade ele a deitou por terra. 8:13-14 S Quando Daniel ouviu um santo perguntar a outro quanto tempo a transgressão de desolação duraria, a resposta dada foi 2.300 dias.

D. A interpretação da visão, 8:15-27. 8:15-16 S Quando Daniel procurou o significado, Gabriel recebeu ordem para fazê-lo entender. 8:17-19 S Foi-lhe dito que a visão se referia ao “tempo do fim”. Ele saberia o que aconteceria “no ultimo tempo da ira”.  De acordo com a interpretação especial que se segue, esta visão falava de coisas que aconteceriam depois do cativeiro babilônio. 8:20-21 S Ele explica especialmente que os dois chifres do carneiro representavam o poder do império medo-persa, e que o bode era a Grécia, cujo grande chifre era o primeiro rei, que foi Alexandre, o Grande. 8:22-23 S Quatro reinos se levantaram deste império,  depois que Alexandre foi derrubado. Mas no final deles, um rei de aparência feroz se levantará. Muitos acreditam que isto seja uma descrição de Antíoco Epifânio, que governou a Síria entre 175-163 a.C. Em seu esforço para consolidar seu reino pela imposição da cultura e divindades gregas aos seus súditos, ele viu a religião hebraica como um forte adversário de seu domínio sobre a Palestina. Quando ele conquistou Jerusalém, colocou uma imagem no templo, ofereceu carne suína no altar, e encorajou os soldados gregos a cometerem fornicação dentro do próprio templo.

Ele proibiu os judeus de circuncidarem seus filhos, de guardar o sábado e até mesmo de possuir uma cópia das Escrituras. Os 2.300 dias (8:14) podem ser um período literal, que seria um pouco mais do que seis anos e corresponderia à extensão real deste período de abominação (171 - 165 a.C.). 8:24-25 S Ele é poderoso, destruiria “os poderosos e o povo santo”. Ele até enfrentaria o Príncipe dos príncipes. 8:26-27 S A Daniel foi dito que a visão se cumpriria em dias ainda muito distantes, mas isso deixou-o doente enquanto pensava nela.

Deus Fechou a Boca dos Leões, 6:1-28 A. 


O ciúme dos sábios e o decreto de Dario, 6:1-9 6:1-2 S Dario (Gubaru, veja Daniel 5:31) estabeleceu a administração do  seu reino, nomeando 120 sátrapas (governadores). Sobre esses sátrapas ele nomeou três presidentes ou comissários. 6:3 S Um excelente espírito estava em Daniel, e Dario procurou fazer dele governador de toda a área.

Que elogio! Não admira que Dario o colocasse na primeira posição no reino. Daniel deveria agora estar nos seus oitenta anos, mas não cessou de ser um dirigente, em atitude e em trabalho. 6:4-5 S Ciúme e inveja levaram os outros presidentes e príncipes a procurarem pretexto para apontarem falta em Daniel. Eles queriam que Daniel fosse removido não somente porque eles podiam ter desejado sua posição, mas talvez porque ele complicasse a vida deles, por sua defesa da retidão. (p. ex., se você gostasse de tomar um pouco de bebida, poderia seu amigo do peito ser um que não gostasse? cf. João 3:20.) Outro elogio é feito a Daniel pelo fato que eles sabiam que o único meio para fazerem alguma acusação contra ele seria relacionado com seu serviço a Deus. 6:6-9 S Eles decidiram ir ao rei e usá-lo como armadilha para Daniel.

Eles bajulam Dario, e então seduzem o seu ego engrandecido sugerindo que emita um decreto real proibindo a adoração de quem quer que seja, além do próprio rei, durante um período de trinta dias. A desobediência a este decreto seria o lançamento do culpado na cova dos leões. O rei Dario assinou um decreto fazendo que isso fosse um estatuto que não poderia ser cancelado ou mudado, nem mesmo pelo próprio rei. B. Daniel deu graças diante de seu Deus "como costumava fazer",  6:10-15. 6:10 S A lealdade de Daniel a Deus vinha em primeiro lugar. A trama que tinha sido lançada desafiava sua lealdade ao rei. Contudo, Daniel não mudou sua prática usual. Ele era leal ao rei, mas Deus seria sempre o primeiro.

Ele era um homem de oração. Sua vida exterior era sem falta porque sua vida interior era totalmente devota e pura. Três vezes por dia, ele se ajoelhava e orava. 6:11-13 S Os inimigos de Daniel observaram-no infringindo o decreto do rei e correram para contar. Primeiro, eles lembraram o rei do estatuto que assinou, depois acusaram Daniel de violar sua ordem três vezes por dia. 6:14-15 S O rei ficou descontente consigo mesmo e procurou achar um  modo de livrar Daniel, mas o decreto real não podia ser alterado. C. Daniel é salvo das bocas dos leões, 6:16-24. 6:16-19 S O rei expressou esperança de que o Deus de Daniel o livrasse. Ainda que ele dissesse isto, passou uma noite sem dormir. De manhã bem cedo foi até a cova dos leões perguntar sobre Daniel. Alguns dos que declaram fé em Deus parecem ser mais ou menos como Dario: seus atos não correspondem a suas palavras (Hebreus 13:5-6). 6:20-23 S Quando o rei gritou por Daniel, para ver se Deus o tinha salvo, Daniel respondeu com simpatia ao rei. Daniel sabia que o rei não era seu inimigo, e assegurou-lhe que Deus tinha enviado um anjo para fechar as bocas dos leões, porque era inocente de qualquer má ação.

“Nenhum dano se achou nele, porque crera no seu Deus.” 6:24 S Aqueles que tramaram contra Daniel foram, então, lançados na cova dos leões. D. O decreto de Dario para louvar o Deus vivo, 6:25-28. 6:25-27 - O rei emitiu um decreto dirigido a todos sob seu domínio, que declarava que o Deus de Daniel era o Deus vivo, cujo reino jamais seria destruído. Este é o Deus onipotente que livrou Daniel da força dos leões. 6:28 S Daniel prosperou durante o domínio babilônio, cerca de setenta anos, por causa de sua grande fé em Deus.


















Agora ele prospera durante o reinado de Ciro, o rei da Pérsia, e de Dario, o Medo, o governante da província caldaica sob Ciro. Aplicações para os Dias Atuais 1. Daniel 6:10 – Deus tem que ser obedecido mesmo acima da lei do país (Atos 4:18-20; 5:29). O diabo nos provará. Se pensarmos que somos fortes, preparemo-nos para ter nossa lealdade desafiada (1 Coríntios 10:12; 1 Pedro 5:8-9). 2. Daniel 6:22-23 – As crianças se emocionam com esta história de Daniel na cova dos leões, porém ela é mais do que uma história de crianças. É para homens de grande coragem que têm fé e humildade de criança. A razão pela qual Daniel não foi ferido é porque ele acreditava em Deus.  Deus livrará todos os que crêem verdadeiramente nele. Daniel pôs a fé em ação! (Hebreus 13:5-6; Mateus 6:33; 2 Coríntios 9:8; Efésios 3:20-21; Apocalipse 14:12-13).

ALGUM OUTRO DIA. NÃO AGORA

I. Deus nunca disse "mais tarde" nem "amanhã", mas [Ele sempre disse] HOJE:

1. "... Dia da salvação ... agora"       II Coríntios 6:2
2. "Enquanto se pode achar"       Isaías 55:6,7
3. "Primeiro"       Mateus 6:33

II. A urgência de aceitar a salvação agora:

1. "Não presumas do dia de amanhã"       Provérbios 27:1
2. "Não sabeis o que acontecerá amanhã"       Tiago 4:14
3. "Como a erva ... flor"       Salmos 103:15,16
4. "Não contenderá o meu Espírito para sempre"       Gênesis 6:3
5. "Sabe fazer o bem e não o faz ... pecado"       Tiago 4:17
6. "Há de vir à hora em que não penseis."       Mateus 24:44
7. "O Homem que ... repreendido endurece ... será destruído"       Provérbios 29:1
8. "Louco! Esta noite te pedirão a tua alma"       Lucas 12:16 - 21

III. Depois não haverá mais oportunidade:

1. "Morrerem ... depois disso o juízo"       Hebreus 9:27
2. "Fechou-se a porta" (para as virgens insensatas que tardaram)       Mateus 25:1-13
3. "Está posto um grande abismo"       Lucas 16:26
4. "Então clamarão a mim ... porém não me acharão."       Provérbios 1:28
4-A. "Até quando, ...vós, insensatos, odiareis o conhecimento?"       Provérbios 1:22-23
5. “Até quando coxeareis entre dois pensamentos?”       I Reis 18:21

NÃO TENHO QUE IR À IGREJA PARA SER SALVO

I. Mas se fosses um verdadeiro crente desejarias ir à igreja:

1. "Alegrei-me ...à casa do SENHOR"       Salmo 122:1
2. "Amamos os irmãos"       I João 3:14
3. "(Cristo) entrou ... na sinagoga, segundo o seu costume."       Lucas 4:16
4. "E todos os que criam estavam juntos"       Atos 2:44-47

II. Ires à igreja é uma ordem [de Deus]:

1. "Não deixando a nossa congregação"       Hebreus 10:25

III. Ninguém deve ter medo ou vergonha de confessar a Cristo publicamente:

1. "Se com a tua boca confessares"       Romanos 10:9,10
2. "... Me confessar diante dos homens"       Mateus 10:32,33
3. "Qualquer que de mim ... se envergonhar"       Lucas 9:26
4. "Mais importa obedecer a Deus do que aos homens."       Atos 5:29

NÃO POSSO DEIXAR TUDO

I. Ao aceitar o Senhor, terás em ti o poder para mudar os desejos de antes:


1. "Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece"       Filipenses 4:13
2. "Somos mais que vencedores"       Romanos 8:37-39
3. "Cristo vive em mim"       Gálatas 2:20
4. "O Espírito ajuda as nossas fraquezas"       Romanos 8:26
5. "As coisas velhas já passaram"       II Coríntios 5:17
6. "Se me amais, guardai os meus mandamentos"       João 14:15
7. "Nossa capacidade vem de Deus"       II Coríntios 3:5

II. O resultado de não deixares tudo por Cristo:


1. "Que aproveitaria ao homem "       Marcos 8:34-37
2. "O amor do Pai não está nele"       I João 2:15-17
3. "A que vive em deleites, vivendo está morta"       I Timóteo 5:6
4. "Louco! Esta noite te pedirão a tua alma"       Lucas 12:16-21
5. "Falta-te uma coisa"       Marcos 10:17-22
6. "Não é digno de mim"       Mateus 10: 37-39
7. "Se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis"       Lucas 13:3
8. "É inimizade contra Deus"       Tiago 4:4
9. "Não hão de herdar o reino de Deus"       I Coríntios 6:9,10

III. Cristo deixou tudo por ti:


1. "Sendo em forma de Deus... esvaziou-se a si mesmo"       Filipenses 2: 6-8
2. "Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens"       Isaías 53: 3
3. "A Deus tudo é possível."       Mateus 19:26

SOU BOM. FAÇO BOAS OBRAS. 

SOU BOM PARA COM OS OUTROS

I. Alguns pensam assim, mas Deus disse:

1. "Todos pecaram"       Romanos 3:23; 5:12
2. "Não há homem justo ... que faça o bem"       Eclesiastes 7:20
3. "Nossas justiças são como trapo da imundícia"       Isaías 64:6
4. "Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos"       I João 1:8,10
5. "Separados...estranhos...sem esperança       Efésios 2:12

II. O que não salva:

1. "Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva"       II Coríntios 10:17,18
2. "Não vem das obras"       Efésios 2:8,9; Tito 3:5; Gálatas 2:16
3. "Sacrifício e oferta não quiseste"       Hebreus 10:5-8; Isaias 1:11-15
4. "A lei"       Gálatas 5:4
5. "Vos justificais a vós mesmos"       Lucas 16:15
6. "Parece direito ... caminhos da morte."       Provérbios 16:25

III. Exemplo de pessoas "boas" que não foram salvas:


1. "O jovem rico"       Marcos 10:17-22
2. "O fariseu"       Lucas 18: 9-14

IV. Condições da salvação para a pessoa "boa":

1. "Crê no Senhor Jesus Cristo"       Atos 16:31
2. "Arrependei-vos, pois, e convertei-vos"       Atos 3:19


3. "Com a boca se faz confissão para a salvação"      Romanos 10:9,10
4. "Quem crê nele não é condenado, mas ..."       João 3:18


A Igreja está vivendo Hoje os seus 

Últimos dias na Terra


A Igreja está vivendo hoje os seus últimos dias na Terra, antes do arrebatamento. Estamos esperando o som de uma trombeta, para nos encontrarmos com Jesus nos ares. Quando a trombeta soar, vamos estar nos ares, transformados; é a Igreja encontrando com o seu noivo para o casamento. Vocês acham que a Igreja vai se encontrar com o noivo do jeito que sair daqui? 

Não, veremos que passaremos por um exame antes do casamento.

                Na época de Jesus (quando Jesus veio na Terra pela 1ª vez), antes de algum casamento, até o enxoval da noiva era examinado. O casamento era um contrato cheio de cláusulas, tudo deveria estar de acordo com o noivo e com a família do noivo. Quando chegarmos lá nos ares, para o encontro com o noivo, haverá um exame para cada um dos indivíduos da igreja. A Bíblia chama esse exame de tribunal; é o acontecimento chamado de "Tribunal de Cristo ou Bema de Cristo". Quando vemos essa palavra tribunal, imediatamente vem a nossa mente: julgamento. Porém, quem estará tomando parte desse julgamento não são os salvos? Será que Jesus julgará os que foram arrebatados e devolverá alguém novamente para a Terra? Não, não é um julgamento para verificar: você está salvo ou você está condenado. Quem subiu no arrebatamento é porque já era salvo; quem não for salvo, não recebe um corpo novo e não consegue subir. Portanto, quem subiu não subiu por engano, Jesus não se enganaria; subiu porque nasceu de novo e é salvo.
                Então, a que se refere esse julgamento, que todos os salvos tomarão parte? Essa palavra tribunal, tem traduzido alguma confusão na meio da Igreja, ela foi assim traduzida para nossa língua e traz alguma confusão.

  • Romanos 14:10; tribunal de Cristo.
Tu que julgas a teu irmão; que desprezas teu irmão. Está falando de irmãos, membros da Igreja. Vejam, então haveremos de comparecer a um tribunal. Paulo nos exorta a termos cuidado em julgarmos aos nossos irmãos. Cuidado!, Paulo diz, não julgueis pois você também comparecerá a um julgamento.

  • II Coríntios 5:10; diante do tribunal de Cristo. Aqui Paulo está falando do mesmo assunto e se inclui no julgamento: todos nós diz Paulo, ele inclusive.
               
                Todos nós que somos salvos, imediatamente após o arrebatamento, compareceremos no tribunal de Cristo para que cada um receba o que fez por meio do corpo, segundo o que praticou, o bem ou o mal. O que isso significa? Em primeiro lugar, o bem ou o mal; uma tradução mais literal seria: o útil ou o inútil. A tradução mais fiel da palavra grega seria útil ou inútil. Portanto, o que fizemos de útil e de inútil com o corpo. Não se trata de julgamento de se a pessoa é salva ou se não é salva, mas se trata do julgamento das obras que nos acompanharão para o céu. Lembram-se do princípio de Deus que estudamos no início do curso: Deus julga obras.
                Quanto a ser salvo ou condenado, é através da fé na obra salvadora de Jesus Cristo.

João 3:18

                Portanto, cada um será julgado segundo as suas obras, mesmo os salvos. É segundo as obras que eu fiz, por meio deste corpo depois de salvo, que o meu trabalho futuro, minha responsabilidade no Reino de Jesus, será determinada. Nesse tempo do tribunal de Cristo Jesus falará assim: "muito bem servo bom, foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei". Será que vamos ouvir isso de Jesus? O que eu fiz com a minha vida depois de salvo? Fiquei simplesmente indo e voltando de uma Igreja, não mudei nada, não fui transformado? Ou então, fui para uma Igreja e comecei a trabalhar "loucamente" para Cristo, para aparecer diante dos homens? Na sociedade não tinha chance, mas agora tenho chance de comandar outros? Estou citando coisas comuns, que as vezes praticamos, mesmo inconscientemente.

                Deus julga obras concretas, pois é a obra concreta que mostra quem eu cri, que mostra como eu vivi, não são as palavras simplesmente. Como eu vivi! A hora que o Senhor Jesus passar os olhos em minha vida, não ficará nada sem ser visto. Não tem como esconder, não tem como justificar-se, ou é útil ou é inútil. Veremos que os olhos de Jesus são como chamas de fogo, nada ficará em obscuro a seus olhos.
                Para ganharmos a nossa salvação, a nossa justificação, somente uma obra é aceita por Deus.

João 6:28-29

                Jesus respondeu: "que creiais em mim". Essa é a obra de Deus para a salvação. Aqui diz que a obra de Deus é uma só, que creiais naquele que por Ele foi enviado. Porém, Efésios capítulo 2, diz que é para nós fazermos obras. Aparentemente, poderia ser uma contradição.


Efésios 2:8-10

                V.8; "porque pela graça sois salvos..."; então, não há obra que faça eu ser salvo, a não ser aquela obra, eu creio. Mas, quem fez essa obra? Jesus fez, eu não fiz nada, eu somente cri que Jesus fez. V.10; mas depois de salvo, sou feitura Dele, fui feito de novo por Ele, um novo espírito foi soprado em mim. "Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras". Quais obras? "As quais Deus antes preparou para que andássemos nelas". Deus preparou, não eu; Deus preparou para que andássemos nelas.
                Tem muita gente aqui na Terra fazendo obras para Jesus, não tem? Nós mesmos, eu e você, não estamos realizando obras para Jesus? Mas a nossa pergunta íntima diante do Pai, em oração, em jejum, em súplicas, tem que ser: Pai, se essa obra não foi preparada de antemão pelo Senhor, se está vindo da minha imaginação, da minha carne, da minha alma, para minha glória, o Senhor tira, "queima" agora mesmo! Essa tem que ser a nossa postura para todas as nossas obras; sabe porquê? Se não for queimada agora, vai ser queimada lá no tribunal. Então, é preferível que queime agora, vai "doer", mas é preferível agora e não lá.

                Há duas palavras gregas traduzidas para o português, em nossas Bíblias, por tribunal: uma é a palavra "kriterion" e a outra é "bema". "Kriterion" designa um tribunal humano, o local onde há um juiz; dessa palavra vem a palavra "critério", da qual dizemos: qual é o critério? Kriterion trata de assuntos judiciais; é onde verdadeiramente as coisas são julgadas.
                Porém, a palavra tribunal que lemos anteriormente em Romanos e II Coríntios, não é "kriterion", mas sim a palavra "bema"; é daí que vem a confusão. A tradução exata da palavra "bema" é: plataforma. Bema é a plataforma, o palanque, de onde o chamado presidente da arena coroava antigamente os vencedores dos jogos públicos. Então, quando a nossa Bíblia em português diz, o tribunal de Cristo, quer dizer, a plataforma onde Jesus estará coroando os vencedores das coroas, plataforma de onde Jesus estará "galardoando" a cada um de nós, segundo as nossas obras. Que coroas, que galardões? Sabiam que nós, os salvos, vamos ganhar coroas, galardões? Alguns vão ganhar poucas coroas, outros vão ganhar muitas coroas e alguns não vão ganhar.


                Quem estará passando por esse "bema"? Os salvos da igreja de Jesus Cristo, somente pessoas salvas. Portanto, não são as obras que vão determinar se a pessoa é salva ou não, as obras de cada salvo serão julgadas. Quem passará pelo bema de Cristo são somente pessoas já salvas, tenham isso muito bem entendido. O que vai ser julgado ali são as obras dos salvos, aquilo que você fez com em sua vida na Terra após sua salvação; é sua parte no enxoval que será julgada, é o enxoval da noiva que vai ser revisto.

Mas como isso se dará?

I Coríntios 3:10-15

                V.10; "lancei eu, como sábio construtor, o fundamento, e outro edifica sobre ele"; edifica sobre o fundamento.
                Faça a imagem em sua cabeça. Você vai construir, põe um fundamento, um alicerce; que fundamento é esse? Cristo? Paulo é bem claro, o fundamento não é outro senão Cristo (V.11). Jesus é a base, o alicerce e o que você edificar sobre esta base com sua vida, será julgado. "O que você fizer de útil ou inútil por meio do corpo", o que você fizer de concreto, será julgado no bema de Cristo. Não é o que você pensou, mas é o que você fez, o que foi manifesto em concreto, que será julgado. 
                V.12-13; vemos aqui que levantamos edifícios distintos, de ouro, de prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha. "Mas a obra de cada um se manifestará porque será revelada no fogo..."O que significa isso?

                O olhar de Jesus Cristo é fogo. Quando Jesus olha em exame alguma coisa, seu olhar penetra até o fundo; é fogo. E aquilo do nosso edifício, da nossa construção, que não foi construído sobre o fundamento que é Cristo, aquilo que não é digno de Cristo, vai pegar fogo, vai ser consumido. Madeira, feno e palha, não resistirão ao fogo do olhar de Cristo.
                Por isso é que devemos orar para o Espírito Santo, enquanto estivermos aqui, para que queime agora mesmo o que não é digno de Cristo; queima mesmo! Quanto mais somos purificados aqui, mais vai parecer ouro, prata e pedras preciosas. O que acontece quando madeira, feno e palha passam pelo fogo? Sai cinza somente, não sobra nada. O que acontece quando o ouro, prata e pedras preciosas passam pelo fogo? São cada vez mais purificadas.




Vejamos alguns tipos de obras

Ouro
Justiça , Pureza
Prata
Perdão
Pedras preciosas
Solidez
Madeira
Humanidade    
Feno
Alimento fraco
Palha
Muito volume

Vejamos alguns tipos de galardões

Coroa incorruptível ICor. 9 : 25
Reservada aos que tem autodomínio    
Coroa da vida            Apoc. 2 : 10
Reservada aos mártires e sofredores
Coroa de glória              I Pe. 5 : 3 – 4
Reservada aos ministros que presidem com fidelidade
Coroa de justiça            II Tim. 4 : 8
Reservada aos que amam a sua vinda.
Pedra branca          Apoc. 2 : 17
Utilizadas nos julgamentos - Utilizada por pessoas especiais – Utilizadas pelos vencedores

                O que é a madeira, feno e palha? O que é ouro, prata e pedras preciosas? São as nossas obras que fizemos para Cristo. Tem muita gente fazendo obras para Cristo, mas será que é para Cristo mesmo? São movidas por Cristo? Vieram de Jesus Cristo? Tudo o que fazemos em nome de Jesus, se originou nele? Não temos a capacidade de fazermos boas obras; quem é o autor de boas obras? É Deus, Jesus, o Espírito Santo, pode por aí qualquer um dos nomes. O Pai, O Filho e O Espírito Santo, eles são os autores de boas obras. Quando estou fazendo uma obra e vem da minha pessoa, então essa obra é feno, palha ou madeira, pegará fogo. E é interessante que até umas parecem mais consistentes do que outras, mas são madeira, pegam fogo. Agora, o que se originou em Deus, o que foi feito por meio dele e para ele, é ouro, prata e pedras preciosas, vão permanecer comigo e serão purificadas no fogo.
                "As obras que Deus preparou de antemão, para que andássemos nelas"; não é muito mais fácil? Claro que é, mas é preciso ser espiritual. Ser espiritual significa andar dominado, andar controlado pelo Espírito Santo de Deus. É Ele quem nos dá a noção perfeita, caso contrário sabe o que acontece? Somos hipócritas espirituais. Cara santa, falando que é para Deus, mas lá no íntimo, é para a própria glória. Não adianta, "pois aquele dia demonstrará, porque será revelada no fogo".

                Não creio que essa "revelação no fogo" vai ser aberta, pública. Creio que Deus vai tratar individualmente com cada um de nós. Tem gente que pensa que Deus vai passar um filme da sua vida e todo mundo vai ver. Jesus não tem esse método, ele trata conosco individualmente.

                Qual foi a motivação do que você fez ou está fazendo? Para a glória de quem foi feito, para Deus ser mostrado ou para você aparecer.


II Coríntios 4:5-7
                V.5; o que vai ser peneirado naquele tribunal? Eu falar que prego a Cristo como Senhor é uma coisa, no meu íntimo é outra, percebeu? 
                V.6; temos que nos rasgar diante de Deus para que Ele penetre e mostre, "porque Deus que disse: das trevas brilhará luz". 
                V.7; maravilha! nós somos vasos de barro; é tesouro em vaso de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.
                Não porque Deus assim quer, mas porque essa é a realidade. Quem não é de Deus e ouve isso, fala assim: mas que Deus orgulhoso, quer tudo para Ele? Não é assim? Você já não pensou nisso? Eu já pensei; tudo para Ele?
                Portanto, após o arrebatamento, cada membro da Igreja, cada membro do Corpo de Cristo, passará individualmente por um exame, por um julgamento. Esse julgamento, não tratará da salvação ou condenação, pois é para pessoas já salvas. Tratará sim, do julgamento das obras dos salvos; é o chamado bema de Cristo.

                E o que vai acontecer de concreto nesse julgamento? I Coríntios 3:10-15
                Se permanecer a obra de cada um, ou seja, se a obra passar pelo julgamento, pelo fogo, a pessoa receberá galardão, receberá um prêmio; a Bíblia chama o galardão de coroa. Mas, se a obra de cada um não permanecer, ou seja, se a obra não passar no exame, não passar pelo fogo, devido a essa obra, a pessoa sofrerá prejuízo e não receberá galardão. A pessoa que no final não permanecer com nenhuma obra aprovada, sofrerá sim grande prejuízo, porém a Bíblia diz, no V.15, "mas o tal será salvo, todavia como que pelo fogo". Não são somente salvos que passam pelo bema de Cristo? A única obra dessa última pessoa que permanece, é a obra de salvação realizada por Jesus Cristo, essa obra é do mais fino ouro, ela é totalmente purificada, Aleluia !!
                Galardões! A Bíblia descreve como sendo coroas e cita cinco tipos: a coroa incorruptível; a coroa da vida; a coroa da justiça; a coroa da glória e a coroa da alegria. Estudando o significado de cada coroa, veremos que tem tudo a ver com a forma como andamos, aqui na Terra, para o Reino de Deus. Que tipos de coroas somos candidatos?



O ESPÍRITO SANTO

AS FIGURAS SIMBÓLICAS DO ESPÍRITO SANTO

INTRODUÇÃO

Alguém disse uma vez que o ensino adequado "torna os ouvidos dos homens em olhos". Isto é exemplificado na Bíblia por tipos, parábolas, comparações e metáforas. As verdades espirituais são apresentadas numa multiplicidade de figuras terrestres.
A pessoa e a obra do Espírito Santo são ilustradas nas Escrituras por várias figuras simbólicas. Essas figuras simbólicas podem ser objetos, pessoas ou evento, que prefiguram um outro objeto, pessoa ou evento. Nessa lição queremos examinar algumas destas figuras simbólicas do Espírito Santo. Deve ser lembrado que há figuras que podem especificar mais de uma pessoa ou evento.

I. POMBA

Em João 1:32, encontramos o Espírito tomando a forma de uma pomba. As características da pomba fazem dela um tipo apto do Espírito que são a sua beleza, suavidade, limpeza e a característica de ela ser facilmente incomodada (Efésios 4:30). A pomba também é inofensiva (Mateus 10:16) e calma. Outras referências nas Escrituras onde este tipo é usado são as seguintes:
A. Gênesis 1:2, pois o Espírito é visto afagando a criação como um pássaro sobre o seu ninho.
B. Gênesis 8:6-12, uma pomba é solta da arca por Noé. Aqui encontramos pelo menos duas figuras do Espírito Santo.
1. A pomba, não como o corvo, recusou-se a continuar do lado de fora da arca, onde nenhum lugar limpo podia ser encontrado. O Espírito, obviamente, só habita naqueles que têm sido lavados pelo sangue de Cristo.
2. A pomba trouxe de volta uma folha de oliveira como um sinal de esperança para aqueles que estavam na arca. Isso prefigura o Espirito que traz a segurança da salvação para os que estão em Cristo.
Observação: É interessante notar que o corvo era um pássaro abominável (Levítico 11:15). Aves também são usadas na Escritura como figuras de espíritos demoníacos (Mateus 13:4, 19; Apocalipse 18:2).


II. ÓLEO / AZEITE

O óleo de oliveira (azeite) foi um artigo de grande importância na Palestina, sendo usado como comida, remédio, iluminação e unção. É um tipo constante do Espírito Santo tanto no Velho Testamento quanto no Novo Testamento.
A. Em Êxodo 40:9-11, aprendemos que o tabernáculo e os móveis deveriam ser ungidos com azeite. Como o tabernáculo era uma figura de Cristo, o azeite figurou Cristo sendo ungido pelo Espírito.
B. Em Êxodo 27:20-21, notamos que o interior do tabernáculo era iluminado pelo uso de óleo de oliveira. Como os pertences eram figuras de Cristo, a interpretação é fácil. Sem a iluminação do Espírito de Deus ninguém poderia ver as glorias do nosso Salvador.
C. Em Levítico 14:14-18, aprendemos que na purificação de uma lepra, foram usados tanto o sangue quanto o azeite. Isto revela que: quando alguém é convertido e curado do pecado, operam tanto o sangue de Cristo quanto a pessoa do Espírito Santo.
D. Os profetas, sacerdotes e reis sendo ungidos prefiguravam a Cristo como nosso profeta, sacerdote e rei.
E. Em Levítico 2:1, encontramos a flor de farinha (um tipo da carne imaculada de Cristo) que foi ungida com azeite (um tipo do Espírito Santo).
F. O óleo é freqüentemente associado, na Bíblia, a curas (Isaías 1:6; Lucas 10:34; Marcos 6:12-13). O Espírito Santo sara espiritualmente.


III. ÁGUA

A água é um tipo comum do Espírito Santo na salvação. O espaço proíbe-nos de nos aprofundarmos neste tipo como gostaríamos:
A. A água é a fonte da vida. Sem água este mundo seria um cemitério desolado e ressecado. Da mesma forma é a presença do Espírito que traz vida e fruto espiritual para as nossas vidas (Galátas 5:22; Isaías 44:3; Atos 2:17).
B. A terra tem abundância de água. Os remidos também têm uma fonte abundante do poder do Espirito (João 7:38).
C. É necessária água para a limpeza. É o Espírito quem limpa nossos corações na regeneração e, continua nos purificando quando diariamente nos aproximamos de nosso Pai celestial (Tito 3:5; Êxodo 29:4).
D.O Espírito Santo é comparado à água viva vinda de um córrego constante. Ele é de todas as formas superior aos poços e às poças estagnadas deste mundo. Enquanto os prazeres desta vida desaparecem e acabam, o Espirito de Deus continua sendo uma fonte interior de vida e gozo (João 4:14; 7:37-39).

IV. VENTO

O vento é um tipo especial do Espírito porque a palavra "espirito" também pode ser traduzida como "vento" (veja capítulo 1). Nosso Senhor usa vento como um tipo do Espirito (João 3:8).
A. O vento é invisível na sua obra (João 3:8). Cristo assim revelou a insensatez de conectar a regeneração com sinais visíveis como o batismo.
B. O vento não é controlado pelos homens (João 3:8). O Espírito Santo é soberano em Suas operações.
C. A presença do vento é percebida pela sua influência (João 3:8). Da mesma forma a presença do Espírito Santo é conhecida pela Sua influência nos corações.
D. O vento é poderoso (Atos 2:1-2). O Espírito Santo pode quebrar o coração mais duro.
E. Assim como que o vento move um barco a velas, o Espírito de Deus moveu aqueles que escreveram as Escrituras (II Pedro 1:21).
F. Da mesma maneira que o vento seco pode murchar a beleza da natureza, o Espírito Santo pode secar o coração orgulhoso através da Sua obra de convicção (Isaías 40:6-7).


V. FOGO

A. Em Atos 2:3, vemos que o fogo era um sinal da presença do Espírito. Vemos no Velho Testamento que o fogo é uma evidência da presença do Senhor (Êxodo 3:2), da aprovação do Senhor (Levítico 9:24) e da proteção do Senhor {Êxodo 13:21}. Talvez, todas essas idéias estejam incluídas em Atos 2:3.

B. Em Apocalipse 4:5, o Espírito é simbolizado por sete lâmpadas de fogo. O número sete tem confundido algumas pessoas, mas parece referir-se ao perfeito conhecimento dado a Cristo, o ungido de Deus (Isaías 11:1-4; Apocalipse 5:6).

Conclusão


De forma alguma temos tratado de todas as figuras simbólicas do Espírito na Bíblia, e não temos nos profundado em cada figura já tratada. Que está lição sirva para encorajar o leitor em seus estudos.



A Lei da Semeadura

II Co 9:6;10
"Mas digo isto: Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará"
"Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, e pão para comer, também dará e multiplicará a vossa sementeira, e aumentará os frutos da vossa justiça."

A semente e pão
O pão é para alimento, a semente é para semear.
Nosso dinheiro também tem estas duas finalidades: Sustento e Semear (dar)

No verso 6 diz:
-      Quem semeia pouco colhe pouco
-      Quem semeia muito colhe muito










É o contrário da poupança:
Poupança : " Quanto mais guarda mais tem "
Semeadura       : " Quanto mais semeia (dá) mais colhe (recebe)

Ajuntar muito dinheiro não é uma boa idéia, pois não sabemos o dia de amanhã. Podemos morrer, deixar a conta cheia e perder a oportunidade de ofertar e repartir.
Lc 12:15-25 (o rico insensato)

Ec 11:1-4
"Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás. Reparte com sete, e ainda até com oito; porque não sabes que mal haverá sobre a terra. Estando as nuvens cheias de chuva, derramam-na sobre a terra. Caindo a árvore para o sul, ou para o norte, no lugar em que a árvore cair, ali ficará. Quem observa o vento, não semeará, e o que atenta para as nuvens não segará. Lançai o vosso pão sobre as águas

·         Lançai o vosso pão sobre as águas
·         Repartir, dar, abençoar os outros e ser abençoado."
·         Quem observa o vento (circunstâncias) não semeara

Welcome to My Blog

ABOUT & SOCIAL

Postagens mais visitadas

- s; ESTUDO POSTAGEM PROFÉTICA -Missionario Francisco-Missionaria Fatima Blogger - Designed Fra e Fati Somos Uma Familia Missionaria -