CARTAS DE CRISTO
Texto: II Coríntios 3:1-6


Demonstrar que os crentes devem ser transparentes como uma carta aberta em que todos podem ler.
Todos gostam de receber cartas. No texto, Paulo fala sobre o crente como “uma carta de Cristo”. Isso implica uma realidade tremenda para nós. Aquilo que Deus deseja comunicar às pessoas com as quais nos relacionamos precisa estar escrito em nós. Deve ser visto em nossas vidas.
TRANSIÇÃO: Para sermos cartas de Cristo são necessárias três condições.



I - PRECISAM SER ABERTAS - (v 2-3)

Ao receber uma correspondência queremos logo conhecer o seu conteúdo. Isso quer dizer que a nossa vida deve ser uma exposição aberta para o conhecimento dos familiares, vizinhos, amigos, colegas, da comunidade em geral. Os princípios cristãos precisam ser vistos em nós. 

Não necessitamos de cartas de recomendações (v. 1); somos cartas pessoais “nossas cartas” (v.
2); somos cartas permanentes “escritas em nossos corações” (v. 2); Somos cartas públicas conhecidas e lidas por todos os homens (v 2). A autenticidade do crente como carta de Cristo é demonstrada por um ministério administrado “ministrado por nós” (v. 3); um ministério de origem sobrenatural “escrito com o Espírito do Deus vivo” (v. 3); um ministério de testemunho “escrita no coração” (v. 3 cf. Jr 24:7; 31:33; Ez 11:19).

II - PRECISAM SER LEGÍVEIS - (v. 3)

Se recebermos carta redigida numa língua desconhecida vamos ficar frustrados. Uma carta ilegível, com palavras desconexas e letra apagada impossibilita a leitura. A carta precisa ser legível. Assim deve ser o crente. A vida cristã que expressamos não pode ser dúbia, confusa, insegura e sem firmeza. É necessário que todos vejam no crente uma conduta que faça sentido, seja definida, coerente e estável. Será que somos uma carta legível?



III - PRECISAM TRAZER BOAS NOTÍCIAS - (v. 5-6)

Carta ideal trás notícias alegres. Paulo diz que somos ministros de uma nova aliança (v. 6). Que boa notícia temos para quem nos lê? São novas de Salvação, de amor, de paz que vem de Deus por meio de Cristo (1:2). As pessoas precisam ver estas boas novas escritas em nós, sendo reveladas no nosso dia-a-dia.
O v. 5, diz que nossa competência, idoneidade e qualificação vêm de Deus (I Co 15:10). Deus nos fez ministros competentes (v. 6). Mas para isso devemos ser: Uma nova criatura (II Co 5:17); uma pessoa regenerada; uma pessoa observadora de um novo mandamento (I Jo 2:7-8); uma pessoa que canta um novo cântico (Ap 14:3); uma pessoa que busca um novo céu e uma nova terra (II Pe 3:13). Que tipo de notícias transmitimos às outras pessoas através de nossas vidas?

CONCLUSÃO

Ilustração: Certa vez um homem enviou uma carta para um amigo seu avisando-o de uma ameaça de morte. O portador esqueceu-se de entregar. Ao saber da morte do destinatário, era  tarde. Uma carta fechada e não entregue, causou a morte de alguém. Não permitamos que isso aconteça. Sejamos uma carta aberta, legível, que anuncia a vida maravilhosa em Cristo Jesus


A SAGA DO POVO DE DEUS
Texto: Neemias 4:1-23

Propósito específico: Conduzir o crente a uma preparação para as batalhas espirituais.
Conflitos, lutas, opressão. História de um povo que venceu a oposição de opressores estrangeiros ou nacionais. A vida cristã é uma luta constante.
TRANSIÇÃO: Na luta diária do povo de Deus encontramos cinco características que o faz vitorioso.

I - O POVO DE DEUS RESISTE - (v. 6)
Sambalate, o governador da Sumária não interessava que os judeus se fortalecessem (v. 1). Os inimigos zombavam (v. 1-3); o povo não parava de trabalhar (v. 6); a zombaria não impressionava e não afetava o povo de Deus (v. 7); Não se deixar impressionar pelas artimanhas do inimigo. 

A obra de Deus não pode sofrer danos; o cristão não se frustra diante da zombaria; não perde a oportunidade de conhecer a mensagem da salvação; não desiste.

II - O POVO DE DEUS TRABALHA - (v. 6)
A tática do adversário não pode dar certo. O povo de Deus dedica-se ao trabalho, não considera o desprezo e a zombaria (v. 6-7). Deus realiza maravilhas quando o povo trabalha. Somos cooperadores de Deus. Deus sempre faz a sua parte. Façamos a nossa.

III - O POVO DE DEUS ORA - (v. 9)
A obra tinha a autorização do rei (2:1-9). O inimigo fica irado. O povo de Deus fica atento, vigilante (v. 13). O povo de Deus fica na brecha, ora (Sl 127:1). Oração é uma arma indispensável na batalha que travamos neste mundo.



IV - O POVO DE DEUS PREVINE-SE - (vv. 13, 16-18, 20-23)
Guarda de dia e de noite (v. 9; Mt 26:41). Providências para evitar surpresas (I Pe 5:8), prudência. Trabalhar como se dependesse de nós. Confiar como se tudo dependesse de Deus.

V - O POVO DE DEUS CONFIA - (v. 14)

“Nosso Deus pelejará por nós” (v. 20; Sl 121:15). Quem trabalhava tinha sempre uma arma por perto. A armadura do cristão (Ef 6:10-20). O líder tinha um auxiliar com a trombeta. Soava o alarme. O líder é capaz, inteligente, cuidadoso, utiliza todos os recursos para proteger seu povo. Acima de tudo a confiança em Deus. Sem Deus não somos nada. Com Deus, com a benção do Senhor Jesus e com o controle do Espírito Santo, seremos conduzidos a vitória.


CONCLUSÃO

Quando Deus tem uma obra a fazer, jamais deixa de levantar os instrumentos necessários. Para vencer crises e conflitos é a piedade fervorosa e dedicação heróica. Deus providenciará a vitória. Somos um povo que sabe vencer as oposições. Resistir, trabalhar, orar, prevenir-se e confiar

O GRANDE MANDAMENTO
Texto: Marcos 12: 28-34

Propósito geral: Consagração Propósito específico: Conduzir o crente a um entendimento do amor a Deus e ao próximo bem com as características do verdadeiro discípulo.
Ninguém consegue definir o que é amor. Poetas, escritores, dramaturgos, tentaram uma definição de amor, mas nunca conseguiram defini-lo na sua essência. A Palavra de Deus diz que o amor na sua expressão perfeita e absoluta. É o próprio Deus (I Jo 4:8). O discípulo de Jesus é identificado pelo amor.


TRANSIÇÃO: O grande mandamento de Jesus apresenta três características.

I - DO AMOR A DEUS - (Dt 6:5).
Ao responder ao escriba sobre o primeiro grande mandamento Jesus usou as Escrituras: “Amarás, pois o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda as tuas forças”.



- “de todo o teu coração” - Era um preceito legal. Jesus tomou Este  preceito e o transportou para a esfera do amor (Ex 20:3). Deus não admite adoração a outro deus. O amor a Deus deve ser total, incondicional, exclusivo, verdadeiro e santo. Condição para encontrar Deus. (Jr 29:13).

- “de toda a tua alma” - Alma é o centro da personalidade. O amor a Deus deve preencher todas as emoções e sentimentos do cristão (Lc 1:46; Sal 103:1-2).

- “de todo o entendimento” - Compreensão, conhecimento, consciência plena do amor de Deus, gratidão ao Senhor. Culto racional (Rm 12:1).
- “de todas as tuas forças”- Esforço espiritual, físico, emocional voltados para a adoração a Deus.

II - DO AMOR AO PRÓXIMO - (v. 31)

Jesus continua a ensinar que existe um segundo mandamento semelhante ao primeiro. Os judeus não valorizavam o amor ao próximo (Lc 10:30ss). O Evangelho de Cristo trouxe uma nova dimensão para o amor (Rm 13:8, 10). 


O grande mandamento de Jesus é o amor ao nosso irmão. Esse amor deve realizar-se em atitudes, e não só em palavras (I Jo 3:16). O amor precisa tomar  forma prática no serviço ao próximo, na ajuda, na comunhão, na evangelização (Lc 10:34-35).

III - DO VERDADEIRO DISCÍPULO - (Jo 13:34; 15:9-11)

Amar não para cumprir mandamento, mas por afeto. A Lei ordenava olho por olho (Dt 19:21). Jesus ensina oferecer a outra face. Fazer o bem aos que nos odeiam (Mt 5:38). Para os judeus isso era terrível. Para os cristãos atuais também. Só com abundante graça (At 4:33) e sob o controle do Espírito Santo (I Pe 4: 13-14), é aceito um ensino e uma prática dessas. Orar pelos que nos maltratam. (Jo 13:45). Orar para que Deus mude os pensamentos, as circunstâncias e os salve. A maior preocupação do discípulo deve ser viver no amor de Jesus.



CONCLUSÃO
Os ensinos de Jesus sobre o amor contrariam a lógica humana. No Antigo Testamento o amor era para os amigos e o ódio para os inimigos. Jesus determina ao cristão amar o seu inimigo, orar e abençoá-lo. É a superioridade da ética evangélica (Rm 5:1-3).


Pessoal temos aqui todo os nosso sites, Pessoal cheio de conteúdo bíblico para baixar ensinar. Visite deixe seu comentário


Visite nosso sites e blogs

Por favor, (Clic) nos bannes de propagada lateral da coluna
Blog deixe seu comentário

msn  MissionarioFranciscoSouza@Gmail.com

Veja todo os nosso SITES BLOGS...

               1 https://Gracaprofetica.blogspot.com.br
               2 https://Downloadtudopouco.blogspot.com.br
               3 https://postagemprofetica.blogspot.com.br
               4 https://TendadosProfetas.blogspot.com.br
               5 https://ArcadeIsrael.blogspot.blogspot.com.br

               6 https://TendadaGraca.blogspot.com.br
               7 https://InternetnoBolso.blogspot.com.br
               8 https://NovasMensagemBiblica.blogspot.com.br
               9 https://receitaspratosrapidos.blogspot.com.br/

               10 https://sermoesbiblico.blogspot.com.br/
               11 https://PastorFranciscoSouzablog.wordpress.com/
               12 https://PastorFranciscoSouza.blogspot.com.br/
               13 https://nossosalvadorjesus.blogspot.com.br/
               14 https://naosabianao.blogspot.com.br/
               15 https://biblianoticias.blogspot.com.br/
               16 https://vercursosver.blogspot.com.br/

        © 2003 . All Rights Reserved.


-----------------------------------------------

ACESSEM NOSSO SITE:


                 www.gracaprofetica.blogspot.com.br
                www.downloadtudopouco.blogspot.com.br
                www.tendadosprofetas.blogspot.com.br





-----------------------------------------------







COMO DESFRUTAR UMA VIDA VITORIOSA


 O Evangelho tem duas forças: a pessoa de Jesus Cristo e os Princípios que Ele ensinou. A combinação dessas duas coisas é que prepara o caminho de vencedor. O vencedor conhece o poder das palavras. Recuse-se liberar palavras de derrota, depressão e desânimo, suas palavras são vida. Expresse confiança e esperança em Deus. 

O vencedor conta com sabedoria especial. “E se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e não o lança em rosto; e ser-lhe-á dada.” (Tiago 1:5). Sabedoria é a capacidade de interpretar uma situação através dos olhos de Deus. Nunca desista, você pode estar a alguns minutos do seu milagre. Iremos compartilhar alguns segredos do sucesso pessoal:



1. Defina o objetivo específico que você quer alcançar.

 Concentre-se em uma prioridade por vez. “Mas uma coisa faço...prossigo para o alvo.” (Filipenses 

3:13-14). Mire no alvo, concentre-se no alvo e conquiste-o.

 Evite distrações que afaste você do foco. “O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos.” (Tiago 1:8).
 Sempre tenha certeza da aprovação de Deus.

2. Trace um mapa detalhado e estabeleça prazos.

 Escreva uma lista detalhada de atividades.
 Estabeleça as prioridades.
 Organize seu tempo. “Remindo o tempo, porquanto os dias são maus.” (Efésios 5:16).

3. Visualize-se constantemente conquistando seu objetivo.

 Aquilo que passa em sua mente se transformará em realidade.
 Traga à existência aquilo que ainda não existe. “E chama as coisas que não são como
se já fossem.” (Romanos 4:17).

4. Crie um clima de confiança em todas as circunstâncias.

 Fale sobre suas expectativas de sucesso, não suas expectativas de fracasso.
 “A morte e a vida estão no poder da língua.” (Provérbios 18;21).
 Utilize a experiência dos outros. “Anda com os sábios e serás sábio.”
(Provérbios 13:20)
 Como filho de Deus você está numa posição de superioridade sobre as circunstâncias. (Romanos 8:37-39)



5. Valorize seu relacionamento com Deus.

 Reconheça Deus como um fator de bênção. Ele sempre faz você triunfar. Ele quer que você seja bem sucedido.
 Para ser bem sucedido você precisa ler a Bíblia diariamente e orar. (Josué 1:8) “... Nos dia em que buscou o Senhor, Deus fez prosperar.” (2 Crônicas 26:5).

Conclusão:

 Você pode desfrutar de uma vida vitoriosa, buscando a sabedoria de Deus, e depositando plena confiança no Deus Todo Poderoso.



EXIGÊNCIAS DO DISCIPULADOTexto: Lucas 9: 57- 10:12
Propósito geral: Devocional


Propósito específico: Mostrar ao crente que ser discípulo não é uma tarefa fácil e que necessita de muito aprendizado.



INTRODUÇÃO
O Senhor Jesus não salva o homem para deixá-lo inútil, mas para uma vida de serviço e lealdade. Ser discípulo é ser aprendiz. E viver em constante de aprendizado É buscar o
Mestre para cada detalhe da vida. Há um preço a pagar por isso: A própria vida, o próprio eu.
TRANSIÇÃO: Para ser discípulo de Jesus são necessárias sete exigências.

I - EXIGE DESPRENDIMENTO - (Lc 9: 57)
Não oferece riquezas materiais nem facilidades. Disposição de pagar o preço para seguir a Jesus. Não há promessas de fortunas e prazeres. A decisão não deve ser precipitada. É preciso seguir Jesus com convicção.

II - EXIGE URGÊNCIA - (Lc 9: 59-60; 10:4)
Não adiar a decisão. Não depender de outros. Não pedir tempo a
Deus para se livrar de suas ocupações. Perseguir as verdades eternas. Adiar a decisão é para os cegos espirituais. Não se preocupar com dinheiro e bens materiais. Confiar em Deus.

III - EXIGE DECISÃO - (v. 61-62)
Esperar por opiniões alheias é indecisão. Para seguir Jesus a decisão é pessoal. É um passo importante. O rumo é Cristo.

IV - EXIGE AÇÃO - (Lc 10:1-3)
A seara é grande, poucos são os disponíveis. Cumprir a ordem do Senhor é enfrentar perigos, dificuldades, desafios. Satanás não dá tréguas. Sabe que o crente consciente é um obstáculo aos seus propósitos de levar o homem ao inferno e usa de todos os meios para impedir que a obra avance. O discipulado exige  “ação” e “prática”. Aquele que não se dispõe a ir não demonstra ser um discípulo de Jesus.

V –EXIGE PROCLAMAÇÃO DA PAZ - (Lc 10:5-6)
Os discípulos devem proclamar a paz e proclamar a salvação aosn homens perdidos. Deve ter a sabedoria em não insistir em pregar
a paz a quem não a quer receber (Rm 5:1). Se alguma pessoa se recusar a aceitar a paz a responsabilidade é dela.



VI - EXIGE UM COMPORTAMENTO DIGNO - (Lc 10:7-8)
Postura séria, confiante nas letras, honesto na pregação, atitudes corretas, comunicar-se com profundidade, comportamento equilibrado (I Ts 2:1-12). Vida de dignidade e respeito às pessoas. Não atrapalhar com mau testemunho e mau comportamento.

VII - EXIGE PREGAÇÃO CONSTANTE - (Lc 10:9-11)
Pregar em tempo e fora de tempo. Proclamar a Palavra de Deus indistintamente.

CONCLUSÃO
Estamos dispostos a pagar o preço? Estamos dando ao sentido de urgência ao discipulado? Estamos disponíveis ao Senhor? Na escola de Jesus não existe o discipulado fácil. As provas



O BOM AMIGO
Texto: Provérbios 27: 6, 9-12


Propósito geral: Ético
Propósito específico: Fortalecer os laços de amizades entre os crentes.

INTRODUÇÃO:

A palavra “amigo” neste texto também é usada para “vizinho”. Tem o sentido de “colega, companheiro”.
“Amigo” representa alguém com quem temos estreira comunhão. Amigo é aquele que ama em todo o tempo (Pv 17:17; cf. Lv 19:18).

Poucos são os amigos íntimos, mas é melhor do que uma multidão de conhecidos. Ilustração: o relacionamento de Jesus com o discípulo amado. João foi o único discípulo de Jesus que compareceu a crucificação.

TRANSIÇÃO:
 Um bom amigo apresenta, entre outras, quatro características.




I – É CONSTANTE - (Pv 17:17)
Amizade constante é amar em todo o tempo.
Estar presente nas horas difíceis.
Estar juntos em todas as horas, nas festas e na dor.

II – É FRANCO E LEAL - (Pv 27:6)
“Leais são as feridas feita pelo que ama, porque o que lisonjeia ao seu próximo arma-lhe a rede aos seus passos” (Pv 29:5). Temos que ter cuidado com os que cochicham e maquinam o mal fazendo-se de amigo (Sl 41:7,9).

III – É CONSELHEIRO - (Pv 27:17)
Amigo conselheiro são raros.
O verdadeiro amigo mostra os dois lados do conselho:
- O efeito animador do companheiro;
- A discussão sadia entre personalidade e ponto de vista (Pv 27:17). Uma amizade verdadeira deve consolar e estimular. “Onde não há conselho, frustram-se os projetos (Pv 15:22a).

IV – É PRUDENTE - (Pv 27:12)
O respeito pelos sentimentos alheios. A recusa de tirar vantagem da afeição de outrém. O verdadeiro amigo sabe até onde pode chegar. Não abusa da amizade, mas ama e compreende o seu próximo.



CONCLUSÃO

A verdadeira amizade é:
- Constante;
- Franca e leal;
- Conselheira; e
- Prudente (Tato).
A integridade de uma amizade depende tanto dos recursosespirituais quanto depende do indivíduo. Mas existe um amigo que é mais chegado que um irmão (Pv
18:24). Um amigo que deu a sua vida em resgate de muitos. Jesus Cristo, o Salvador (Jo 15:13).

O CRISTÃO E A IGREJA
Texto: Atos 2: 43-47


Propósito geral: Didático Propósito específico: Conduzir o crente a envolver-se com sua comunidade.
INTRODUÇÃO:

A Igreja é um organismo vivo. É o corpo de Cristo. Ao mesmo tempo é uma organização. É uma comunidade que compartilha de experiências comuns. Tem uma missão tríplice: Para com
Deus na adoração; para com o mundo na evangelização e no testemunho; e para consigo mesma. Os princípios básicos da Igreja são a Comunhão, o Serviço e o Testemunho.

TRANSIÇÃO:
 A relação do cristão com a igreja conduz a três tipos de envolvimentos.

I - ENVOLVIMENTO NA COMUNHÃO - (I Jo 1: 3, 6, 7)

A igreja, o corpo de Cristo, serve para o amadurecimento do crente. Fora do corpo membro algum sobrevive. Para que o corpo seja vivo e funcional é necessário um engajamento irrestrito: Comunhão (a vida comum no corpo de Cristo); perseverança (At 2:42); partilha (At 2:44); compartilhamento (At 2:45-46); adoração e louvor (At 2:47). Isto parece utópico, mas é o ideal para a igreja (Jo 17:21).




II - ENVOLVIMENTO NA DISCIPLINA - (Mt 18: 15-17)

Jesus propõe o ideal para a Sua Igreja. Uma Igreja que trata seus doentes espirituais. Três princípios se destacam:
O pecado, uma exceção na vida cristã. Normal é a santidade (I Jo 3:9).

O cristão não deve ser conivente com o pecado (I Jo 5:1-5), a igreja tem que saber tratar e curar seus enfermos espirituais sem sensacionalismo. Descrição quando houver indícios de pecado, verificando a fundo a situação para tratar o culpado. A disciplina não visa a exclusão do faltoso, mas sua  recuperação. Exclusão somente em caso de não aceitação da correção. O perdão: A igreja é uma comunidade que perdoa (Mt 6:12). Quem não perdoa é incapaz de receber perdão de Deus. Uma comunidade acolhedora zela pela sua disciplina e trata seus doentes espirituais e promove a cura (Gl 6:1-2). Negar o perdão quando o pecado é confessado é sinal de imaturidade.



III - ENVOLVIMENTO NOS OBJETIVOS - (Ef 4:13-16)

Quem não se envolve se isola. Membro do corpo que não participa está doente e tem que ser tratado, senão contamina os demais. Somos colocados como membros do corpo de Cristo para a promoção da unidade (Ef 4:13), para uma convicção doutrinária (At 2:42), para ser fiel a doutrina bíblica, não só a liderança (Ef 4:14-15). Somos colocados como membros do corpo de Cristo para ser muralhas contra as falsas doutrinas. Somos colocados como membros do corpo de Cristo para ajudar nos seus objetivos (Ef 4:16), ser um corpo operante, bem ajustado, consolidado, maduro na fé, saudável,acolhedor.

CONCLUSÃO

Para haver comunhão temos que participar do corpo de Cristo.
Uma igreja engajada no seu trabalho é uma comunidade que:
Tem responsabilidade missionária; evangeliza; preocupa-se com a edificação dos crentes; e tem objetivos. Quanto mais nos envolvemos com a nossa igreja, mais cresceremos espiritualmente.


PREPARO PARA O TEMPO DE ANGÚSTIAApoc. 3:10


I – Introdução – Um Conflito "Total".

II – Um Tempo de Grande Angústia.
1. Quando começa o tempo de angústia. - Dan. 12:1.
2. Dia de aperto e de destruição. - Joel 1:15; 2:11.
3. O tempo de "angústia de Jacó". - Jer. 30:5,7.

III – Fecha-se a Porta da Graça.
1. É selada a sorte de todo homem. - Apoc. 22:11.
2. Inútil procura da Palavra de Deus. - Amos 8:11,12.



IV – Povo de Deus na Hora da Prova.
1. A promessa de proteção. - Apoc. 3:10.
2. Abrigado das tempestades. - Sal. 27:5; 91:9,10.
3. A armadura do cristão. - Ef. 6:11,12.
4. As armas contra o mal. - Ef. 6:17.

V – Quando Vier a Crise.
1. Q povo de Deus terá um refúgio. - Is. 33:15,16.
2. O decreto de morte. - Apoc. 13:15.

VI – Deus Livra os que Lhe São Fiéis.
1. Aguardam a vinda de Cristo. - Is. 25:9.
2. Saem da grande tribulação. - Apoc. 7:13,14.
3. Recebem as bênçãos do Céu. - Apoc. 7:16,17.

FIM DA TRISTEZA E DO SOFRIMENTO
Isa. 35:10


I – Introdução – Anseio pelo Céu.

II – O Mundo de Deus do Amanhã.
1. É preparada uma cidade. - Heb. 11:16.
2. Promessa de novos Céus e nova Terra. - II Ped. 3:13.
3. Nova criação. - Isa. 65:17


.III – O Fim das Dores e Lágrimas.
1. Ver-Lhe-emos a face. - Apoc. 22:4.
2. Acabam-se as dores e a morte. - Apoc. 21:4.
3. Não haverá mais pranto. - Isa. 65:19.
4. Ali não haverá noite. - Apoc. 21:23,25.



IV – Paz e Felicidade para Todo o Sempre.
1. Os remidos estarão seguros. - Isa. 65:21,22.
2. Terra de paz e descanso. - Isa. 32:18; 60:18.
3. Uma Terra onde não se conhece doença. - Isa. 33:24; 35:5,6.

V – Uma Terra de Paz e Felicidade.

1. O pecado ali não entrará. - Apoc. 21:27.
2. É mudada nossa cidadania. - Col. 1:12,13.
3. A obediência, um dos requisitos para entrar no reino de Deus. Apoc. 22:14.
4. A promessa de felicidade eterna. - Isa. 35:10.

O Valor da Oração 

Jesus ensinou que os homens devem orar sempre, e nunca esmorecer (Lucas 18:1-8). Abraão teve que esperar anos, com fé, antes que Isaque nascesse. Dizem que Jacó tinha 97 anos quando batalhou em oração e Deus mudou o seu nome para Israel. José suportou muitos anos em um calabouço, com sofrimento, por causa de mal entendidos, antes que o sonho que Deus lhe deu se tornasse verdade. Ana orou durante anos antes que suas orações fossem respondidas e Samuel nascesse.


Deus abençoou Abraão durante os anos em que esperou com fé pelo nascimento de Isaque. Deus abençoou Jacó durante os anos em que ele, também, estava se ajustando ao programa de Deus, tanto que Labão aprendeu pela experiência que Deus o abençoou (a Labão) por amor a Jacó (Gn 30:27). O mesmo foi verdade para José: Deus o abençoou e lhe foi favorável através dos anos, embora tenha sido rejeitado pelos seus próprios irmãos e vendido como escravo.

Da mesma forma, hoje, as bênçãos de Deus estão sobre Seu humilde povo. Mas a Palavra de Deus diz que temos necessidade de perseverança (persistência com alegria), para que havendo feito a vontade de Deus, possamos alcançara promessa; a Palavra nos exorta também a não abandonar a nossa confiança nem nossas orações   (Hebreus 10:35-36).



ORAR SEMPRE. LC. 18:1-8.

1. Oramos e agradecemos nas provações. At. 16:25.
2. Em tempos de sofrimento. Tg.5:13.
3. Em perigos. Mt. 14:30; Lc. 22:42.
4. Em situações desesperadoras. Jn. 2:2.
5. Em todas as situações. Fp. 4:6; Sl. 145:18,19.
6. Oramos e sabemos que somos atendidos. Dn.9:23;Jo. 14:13.


A ORAÇÃO DE PAULO PELOS FILIPENSES. FP. 1:9-11.

1. Paulo orou muito pelos crentes. Ef. 1:16-23; 3:14-19; Cl. 1:9-12; 1 Ts. 3:10-13; 2 Ts. 1:11,12.
2. Observemos o que Paulo suplicou para os Filipenses:
a) Pediu por amor transbordante.
b) Conhecimento e discernimento.
c) Uma vida sincera e sem escândalo.
d) Uma vida frutífera.

3. Falou também do doador, que foi e é Jesus Cristo.

A PRIMEIRA ORAÇÃO DE SAULO. AT. 9:11.


O Senhor falou a Ananias sobre Saulo: "Ele está orando". Saulo já não havia orado muitas vezes como fariseu?

Foram orações que não chegaram a Deus. Mas agora, sendo afligido profundamente pelo pecado, clamou a Deus, e o Senhor ouviu-o, enviando-lhe Ananias para mostrar o caminho da salvação.

1. A primeira oração de Paulo foi verdadeira. Provavelmente foi semelhante à do publicano em Lc. 18:13. Orações verdadeiras provêm de uma profunda necessidade interior. 2 Cr. 33:12,13.
2. A oração de Paulo foi conforme a vontade de Deus: "Que farei Senhor?" At. 22:10. Ele perguntou somente pela vontade de Deus.



3. Provocou a admiração de outros. Para Ananias era incompreensível, que um perseguidor como Paulo de repente orava. Muitos admiram-se quando um antigo blasfemador ora.
4. A primeira oração de Paulo foi atendida. Vv. 10-12.
5. Após a oração, seguiu-se uma nova vida. Ele seguiu o conselho de Deus. At. 26:19,20; Gl. 1:16.

Todo caminho nobre começa no trono da graça.
6. A primeira oração de Paulo foi seguida de muita alegria. Lc. 15:10. Como deve ter sido grande a alegria dos cristãos da época quando ouviram que Paulo orava. Vv.21,22.

7. Foi seguida também por um novo serviço. Logo ele começou a testemunhar do Senhor. Vv.20-22




Oração Consciente (Mateus 6.5-8)

Paulo orando na Prisão “E quando orardes não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar... para serem vistos dos homens... E, orando, não useis de vãs repetições,
como os gentios; porque presumem que pelo muito falar serão ouvidos.
Não vos assemelheis, pois, a eles” (Mateus 6.5-8).

É muito importante observar e aprender com Jesus como estabelecer um equilíbrio doutrinário e prático na nossa vida diária de fé. Primeiro ele aponta os extremos; e somente depois, mostra o caminho do equilíbrio. Ele faz exatamente isso no sermão da montanha.

Ao ensinar a oração conhecida como “Oração Dominical” ou do “Pai Nosso”, parte do mesmo princípio. A oração cristã não pode ser nem egoísta quanto aos seus objetivos; e nem esvaziada de significado em repetições vazias e sem fim. Mas, devem ser orações refletidas e conscientes tanto de seu objetivo: Falar com Deus; quanto do seu significado: aprofundar a comunhão com Deus.

Os dois extremos a serem evitados na oração é a hipocrisia dos fariseus, que fazem para aparecer; e as “vãs repetições” dos gentios. Ambos não representam a verdade sobre a oração. O primeiro, porque abusa do propósito da oração, que é alcançar o coração de Deus, e não a glória dos homens. O segundo, porque abusa da própria natureza da oração, “rebaixando-a de um real e pessoal acesso a Deus a uma mera recitação de palavras” (John Stott).

Ao ensinar a oração em secreto, Jesus reprova a ostentação e o egoísmo; ao dar-nos um modelo de oração, reprova a “falação” sem significado. O modelo de Jesus aponta para uma comunhão significativa com Deus, reconhecendo-o como Deus amoroso, pessoal e poderoso.



Essa oração é para ser tanto um modelo, como Mateus fala: “Portanto, orareis assim” (Mt 6.9); como também, como ensina Lucas, deve ser uma forma de orar: “Quando orardes, dizei...” (Lc 11.2); isso quer dizer que devemos aprender essa oração e orá-la freqüentemente sem fazer dela uma “reza”; bem como aprender os seus princípios e aplicá-los às nossas orações e ações cotidianas.

Conscientes de tudo isso, seremos afetados de duas formas nas nossas orações: Reconheceremos a glória de Deus (o seu nome, reino e vontade – v.9,10) e dependeremos humildemente da graça de Deus ( o pão, o perdão e a vitória sobre a tentação – v.11-15). Orar assim muda as nossas prioridades, regula a nossa submissão a Deus e nos ensina a realmente falar com Deus quando e enquanto oramos.

Oração:
Senhor, não queremos ser nem hipócritas e nem irracionais quando orarmos a ti e enquanto estivermos orando. Queremos ser conscientes de quem Tu és e dessa forma adorar-te e servir-te. Em nome de Jesus. Amém.


ENCONTRAMOS O SENHOR ORANDO:


1. Na ocasião do Seu batismo no Jordão. Lc. 3:21,22.

2. Após a realização de um ministério abençoado. Mc. 1:34,35.

3. Quando uma grande multidão O seguiu. Lc. 5:15,16.

4. Depois de grandes sucessos. Mc. 6:46.



5. Quando anunciou Seu sofrimento. Lc.9:18-22.

6. Quando estava no monte da transfiguração. Lc. 9:28.

7. Diante do túmulo de Lázaro. Jo. 11:41.

8. Quando ensinou os discípulos a orar. Lc. 11:1.

9. Ao estar em grande angústia. Jo.12:27.

10. Quando confiou Seus discípulos a Seu Pai. Jo. 17.

11. No jardim Getsêmani. Mt. 26:36.

12. Pendurado na cruz. Lc. 23:34,46; Mt. 27:46.














INCENTIVO À PEREGRINAÇÃO
Núm. 10:29


I – A jornada.
1. Seu início. - Miq. 2:10.
2. Seu aspecto. - Atos 14 : 22 ; Heb. 11.
3. Seu término. - Apoc. 7:9-17.

II – A proposta.
1. O convite. - Núm. 10:29.
2. As condições.
a) Acompanhar o povo de Deus. - Jer. 6:16.
b) Obedecer às instruções de Deus.

III – O incentivo.
1. Conforto divino. - Jo. 16:33.
2. Proteção divina. - Mat. 28:20.
3. Direção divina. - Isa. 28:26.
4. Gloriosa expectativa. - I Cor. 2:9-10.
5. Triunfo sobre a morte. - Apoc. 2:10-11.
6. Um lar além da maré. - João 14:1-3; Heb. 11:13-16; Ap. 21:1-3.

O VALOR DAS PROVAÇÕES


I – Os Discípulos Teriam Aflições Neste Mundo. - João 16:32,33.

1. Como devemos portar-nos na tribulação. - Rom. 12:12.
2. Tentações, dificuldades, tribulações, são meios de educação que Deus escolheu para purificar-nos da escória do mundanismo.
3. Não raro Ele faz arder o fogo da tribulação para conseguir a purificação. - Tia. 1:12.

II – Como se Desenvolvem a Paciência e Perseverança.

– Rom, 6:3, 4; Tia. 1:2, 3.


1. Em meio às tribulações se aperfeiçoa o caráter cristão. Tribulações penosas, sofridas, desenvolvem a paciência, firmeza e confiança firme e estável em Deus!
2. Em que apreço teve Pedro as provações da fé? - I Ped. 1:6, 7.

a) As estrelas luzem mais na noite escura; as tochas ardem melhor quando são agitadas; as árvores firmam-se melhor quando são freqüentemente agitadas; o ouro brilha mais quando é polido.
b) Os crentes são mais vitoriosos quando mais provados; mais gloriosos quando mais padecem; mais exaltados no favor de Deus quando mais perseguidos. Como as lutas assim as vitórias; como as provações assim os triunfos.

3. O que o Senhor faz quando padecemos tribulação. - II Cor. 1:3-5.
4. Sobre quem devemos lançar os nossos cuidados. - I Ped. 5:7; Isa. 53:4, 5; I João 4:27.

III – Uma Promessa Para o Tempo de Provações!
- Isa. 41:10; Rom. 8:28; Apoc. 7:14.


NÃO REJEITEIS A VOSSA CONFIANÇA"
Heb. 10:34-39, 35

A situação de Paulo – prisioneiro. Seus seguidores sofrendo perseguições.
I – "Não rejeiteis a vossa confiança" - Heb. 10:35.

1. Lutas e sofrimentos atingem os crentes. - Atos 14 :22.

2. O caminho é estreito e mau. - Mat. 7:13,14.
a) A viagem do "Peregrino".
3. A perseverança trará a recompensa. - Mat. 10:22.


II – A necessidade de paciência - Heb. 10:36.

1. Devemos praticar a paciência. - I Tim. 6:11.
2. Será obtida pela tribulação. - Rom. 5:3.
3. Os redimidos serão pacientes. - Apoc. 13:10; 14:12.
4. É necessária para a nossa esperança gloriosa. - Heb. 10:37.

III – Como ficaremos prontos.

1. Vivendo pela fé. - Heb. 10 :38.
a) Moisés e Josué. 2. Obedecendo à vontade de Deus.
3. O Senhor não tem prazer nos que apostatam. - Heb. 12:38-39.
A advertência divina. - Heb. 10:35.


ENFRENTANDO A TEMPESTADE COM JESUS
Mat. 8:23-27


Após um dia de exaustivo trabalho público e ensino particular.

I – O sonolento cansado.

1. Uma manifestação genuína da Sua humanidade.
2. A natureza cansativa do Seu trabalho.


II – Uma tempestade inesperada.

1. Por que foi ela permitida?
a) Sendo que Jesus estava com eles?
b) Sendo que eles estavam seguindo a Jesus?

III – Os discípulos.

1. Ficaram atemorizados com a fúria da tempestade.
2. Ficaram impacientes com Jesus.
3. Ficaram desesperados.

IV – A falta de fé dos discípulos.

1. Esqueceram-se das manifestações passadas do poder de Jesus.
2. Esqueceram que Jesus estava passando com eles o mesmo perigo.
3. A palavra mágica de Jesus. - Mat. 8.

FIDELIDADE
Apoc. 2:10


I – Cristo aprecia a fidelidade.

1. Fidelidade no cumprimento do dever.
2. Fidelidade diante das provas.
3. Fidelidade nos detalhes mínimos da vida.


II – Cristo requer fidelidade pessoal.

1. Cada pessoa tem determinado trabalho.
2. Cada um tem um poder para executar o trabalho. - Mat. 28:18-20.
3. Cada um está sob o dever de trabalhar.

III – Cristo requer fidelidade constante.

1. A vida é uma provação.
2. A morte é um descanso.

IV – Cristo recompensará a fidelidade.

1. Com uma gloriosa recompensa – "uma coroa".
2. Com uma recompensa durável – "uma coroa de vida".
3. Com uma recompensa pessoal – "dar-te-ei".


JABEZ
1 Crônicas 4.9,10

Introdução
Você já conseguiu localizar um texto muito difícil da Bíblia em menos de 1 quem conseguiu, fica em pé! ...eu penso que vocês mereceram um registro no abraço) ...agora, quem não conseguiu, ganha só um aperto de mão, e diga assim prá pessoa ao seu lado: “Da próxima vez, conseguiremos”.Ler o texto: “Foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos; sua mãe chamou-lhe Jabez, dizendo: Porque com dores o dei à luz. 10 Jabez alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido”.Eu tenho um tema para a mensagem que Deus me confiou para entregar: “Como viver acima da média”.Penso nas pessoas que vivem 10, 20, 30% do que poderiam estar vivendo...




Esse livro de Crônicas parece, no seu começo, com uma lista telefônica – do cap 1 ao 9, são mais de 600 nomes. Tem: Adão, Noé, Társis, Ismael, Elda... mas tem também Arfaxade, Aná, Jaacã, Jotão... Você vai se surpreender com esses nomes...São mais de 600 nomes, e só o de Jabez recebe destaque (está no v. 9,10).
Isso é reconhecimento – todas as pessoas gostam de ser reconhecidas, faz bem e é necessário. [pergunte aí do lado: você gosta de um elogio, irmãozinho?]Neste texto, então, você descobre a vida de um homem de nome Jabez, que recebeu destaque no meio de 600 nomes!
O que ele fez de tão notável? ...vamos analisar três segredos na vida deste homem.
 
[Para começar, quero dizer prá você:]
 
COMECE A SONHAR, POIS DEUS TE FEZ PARA CRESCER

Algumas pessoas não tem sonhos, não tem ambição... (o muro da casa casa própria; anda de bicicleta e não sonha com um automóvel... olha: eu ando irmão, eu capricho. Dizem que a única coisa que a gente não precisa pagar é para sonhar – e você acha que vou sonhar com um “carango da marca qualquer coisa serve”? ...é ruim!).
Pessoas sem sonho, sem qualquer ambição na vida, são igualzinhas àquela do comercial da televisão. Você já viu? ...vai à padaria fazer compras, o vendedor pergunta: - “Que deseja?” e a pessoa diz: “Tem Qualquer Coisa Serve? ...me dá um quilo! Ah! Aquele leite ali é tudo igual? – É sim, senhora! ....ô Zé, traz o Leite Tudo Igual prá essa senhora”...Não ter sonhos é apenas existir, sem nada esperar... é uma vida chata.

Talvez você ache que ter ambição é errado, pecado... Mas por que não podemos ter grandes sonhos? Ora, podemos direcionar esse sentimento e atitudes pelas coisas certas e boas:
Quando Abrãao pediu a Deus que lhe desse um filho, certa noite Deus falou prá ele: “Saia para fora, conte o número de estrelas”. Ele começou a contar (dizem que podemos ver a olho nu 6.000 estrelas). Podemos imaginar Abraão contando até perder a conta e dizer: “Pai, não consigo contar todas elas”. Então disse o Pai: “Teus filhos serão tão numerosos como as estrelas”. Abraão ficou mudo de emoção. [no plano de Deus ele seria pai de uma raça inteira] Lágrimas desceram. Olhando para as estrelas a única coisa que podia ver eram os rostos de seus filhos... Deus lhe havia dado um sonho!!  No caso de Jabez, sua ambição era pela bênção de Deus; ele queria o melhor!!




Muitas pessoas erram quando dizem: “Senhor, abençoe o que eu estou fazendo”. O correto seria dizer: “Senhor, eu quero estar naquilo que o Senhor está abençoando”.
Amado, quando você começa a ter uma ambição pelas coisas certas, que Deus aprova, você sai do ordinário e entra para o campo do extra-ordinário... você PRECISA TER UM SONHO! DEUS TE FEZ PARA CRESCER!
Tudo que é saudável cresce: Plantas crescem, crianças crescem, igreja cresce, pessoas crescem! Você pode crescer em relacionamento, financeiramente, profissionalmente, ministerialmente (se já é um crente)... Deus espera que você cresça, pois Ele te fez para crescer!

Mas há três grandes erros que nos impedem de ter uma grande ambição como a que Jabez possuía:

Confundir humildade com medo: “Oh! Eu nunca vou conseguir fazer isso...” Amado, se é o que Deus está querendo, você vai conseguir! – Deus ama você e quer seu crescimento – esse amor lança fora o medo! Aproveite e comece a sonhar!

Confundir satisfação com preguiça. É verdade que está na Bíblia o que Paulo disse: “Eu aprendi a viver contente em toda e qualquer situação” (Fp 4.11). Ele não está dizendo para você não ter alvos, sonhos... Está dizendo: “Estou feliz hoje, ainda que meus alvos não foram alcançados, eu aprendi a tirar o melhor desse momento”. – Se a satisfação for desculpas para a preguiça, nossos filhos nunca se formarão numa faculdade.

Confundir pensar pequeno com espiritualidade. Há pessoas que esperam tão pouco de Deus e fazem tão pouco prá Deus, que se justificam dizendo: “Eu sirvo a Deus do meu jeitinho”. Por que você não O serve de uma maneira melhor? Existem mais coisas que você pode fazer por Ele!Isaías 54:2: “Amplia o lugar da tua tenda, e as cortinas das tuas habitações se estendam; não o impeças; alonga as tuas cordas e firma bem as tuas estacas”. O sonho de Jabez era ser abençoado, era ter alagardas as suas fronteiras, este era seu primeiro segredo: ELE TINHA UM SONHO e Deus lhe concedeu o que tinha pedido.
Amado: Comece a sonhar, pois Deus te fez para crescer também! Amém?!
 
[também o que quero lhe dizer esta noite é:]

























COMECE A CRER, POIS DEUS TE CHAMA PARA VENCER

Deus não criou ninguém para o fracasso. Se consultar os fatos da criação, lerá: “Formou Deus o homem à sua imagem e semelhança” – isto já é um traço marcante. Depois disse: “Crescei... frutificai-vos...”  Deus te chama para vencer diferentes estações e frutificar!
É de impressionar a relva verde cobrindo os morros agora. Até uns poucos dias atrás, víamos torrões de terra seca; porém, o capim, o mato verde está de volta. A Prefeitura replantou todos eles? ...não! – eles venceram o sol, venceram a terra seca, receberam chuva e estão verdes novamente!
Amado, está ilustrado na natureza o que Deus lhe deseja: Se você está sofrendo o calor das provações, a seca cruel da alegria de viver, da esperança de ter... comece a crer, pois Deus te dará vitória.



A verdade é que Deus dotou você com o potencial de um vencedor. Veja alguns fatos acerca de Jabez:
Não existe aqui nenhuma menção especial a um talento, dom ou habilidade em Jabez.
Não fala dele ser rico ou com ótima escolaridade – ele era uma pessoa comum que apenas usou sua fé!Quando você tem fé, não se preocupe com o que você não tem! 
A fé de Jabez o levou a alcançar seus sonhos – a fé é muito mais importante que habilidade ou formação escolar.
Certa vez três amigos encontraram-se após muitos anos de separação. Contando suas experiências, um deles disse: "Sou um homem muito infeliz. Perdi todo o dinheiro que possuía. Não tenho mais nada". O outro disse: "É difícil a sua situação, mas não é tão triste como a minha. Perdi minha querida esposa e meus dois filhos. Oh! Se pudesse dar tudo o que você perdeu para tornar a vê-los!" O terceiro amigo disse: "A infelicidade de vocês é pequena comparada com a minha. Um de vocês perdeu o dinheiro, que pode ser recobrado. O outro perdeu os queridos, porém, espera encontrá-los no céu. Mas eu perdi o que de mais precioso existe: eu perdi a fé".

Jabez tinha alguma marca em sua vida. JABEZ significa “doloroso”. Ele causou tantas dores à sua mãe quando nasceu, que ela o chamou de “o doloroso” (talvez ele até foi rejeitado, não muito querido, não muito amado... – e quantos de vocês não foram assim também? Frustrados no trabalho, problemas no casamento, rejeição na infância...
Jabez tinha um nome

Mas apesar de sua experiência dolorosa de vida, este homem começou a crer em grandes coisas para o futuro – ESTE ERA O SEU SEGUNDO SEGREDO – a fé de Jabez lhe dizia: “Você não é um estorvo; você não é um trapo – você é uma criatura de Deus chamada para vencer!!  Amado: qual é a sua marca na vida? É algo físico? ...espiritual? ...frustração no trabalho? ...problemas no casamento? ...rejeição na infância? Tome posse de uma grande fé! Com fé em Deus você vencerá na vida pois Deus te chama para vencer! 




[e agora, ouça também isto:]

COMECE A ORAR, POIS DEUS TE MOTIVA SER UM CONQUISTADOR

Nossas orações a Deus devem ser genuínas e transparentes – e esse era o terceiro segredo da vida de Jabez.Foi a oração simples deste homem que o levou a ser um homem ilustre, a ter seu exemplo registrado na Bíblia, a ser destacado no meio de 600 nomes, e ainda ter pessoas falando dele quase 3 mil anos depois!

Talvez você tem receio de pedir alguma coisa em oração, mas se o que deseja agrada a Deus, peça!
Jabez pediu pelo poder de Deus em sua vida – esta ambição é boa [você talvez nunca resolveu alguns problemas crônicos em sua vida, como a falta de realização emocional, ou seu casamento... porque você nunca pediu sincera e abertamente isto!A vantagem da oração particular é que podemos falar com Deus naturalmente, abrindo nosso coração [como uma garotinha, que estando muito gripada, com febre e tossindo muito, uma tosse incômoda, na hora de dormir fez a sua oração ao Senhor: “Papai do céu, abençoa mamãe, papai, minha irmãzinha e eu também, que estou com uma tosse medonha” – nisso, a menina tossiu fortemente, interrompendo a oração, mas que continuou na maior inocência, dizendo: “tá vendo só, Papai do Céu”?].Jabez em sua oração pediu a Deus: “seja comigo a Tua mão”. – Ele queria a presença de Deus com Ele! (aí está uma oração que Deus gosta de responder)!"A maravilha de Deus é que Ele ouve as orações de cada um de nós como se fôssemos a única pessoa do mundo!" 




Jabez ainda orava dizendo: “Me preserves do mal, de modo que eu seja livre da aflição” – ele não soube disso, mas fez exatamente o que Jesus ensinaria na Oração Pai Nosso: “Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal”.A tentação vem sobre as pessoas que estão fazendo coisas significantes – quanto maiores coisas você fizer, mais será atacado e tentado – mas Deus quer que você dependa dEle para te livrar do Maligno! É especialidade de Deus livrar e salvar. Amém? 

CONCLUSÃO

Você quer viver acima da média? ...como pessoa que cresce, que é vitoriosa e

Há três princípios para você usar a fim de alcançar essa vida:
Primeiro, você precisa começar a sonhar os sonhos de Deus!
Segundo, você precisa começar a crer, precisa confiar em Deus.
Terceiro, você precisa começar a fazer oração genuína e transparente a Deus – como alguém que depende de Deus para alcançar tudo na vida. 
Então, VOCÊ QUER VIVER ACIMA DA MÉDIA?

Welcome to My Blog

Google+ Followers

ABOUT & SOCIAL

Postagens mais visitadas

- s; ESTUDO POSTAGEM PROFÉTICA -Missionario Francisco-Missionaria Fatima Blogger - Designed Fra e Fati Somos Uma Familia Missionaria -