Posted by : FrTutorial no Brasil domingo, 20 de agosto de 2017

Paulo estava de joelhos orando por uma causa, mas que causa era esta? 

A causa do Evangelho, o Evangelho transformador de Cristo Jesus, o Evangelho que transforma vidas. Paulo orava por esta causa, para que o Evangelho continuasse em sua expansão, para que os irmãos se convertessem ao Senhor e fossem ungidos por Ele,  protegidos por Ele, fortalecidos por Ele, e proclamassem o Evangelho com ousadia a todos os gentios. O apóstolo não media esforços  para ver esta causa realizada.. Esta era e é a vontade do Senhor. “Orai uns pelos outros” (Tiago 5, 16).
Esta é a preocupação que cada pastor deve ter por sua igreja, fazer seus membros crescerem na fé, no amor a Deus e ao próximo, levá-los a viver uma vida agradável a Deus.

Sem reclamar, sem murmurar e sem pensar em desistir, Paulo suportou todos os incômodos da prisão,
pois ele só pensava no crescimento da igreja de Cristo; mesmo estando preso, escrevia cartas que inspiravam ânimo e sempre orava em favor dos cristãos. Mesmo preso, humilhado e caluniado, ele encontrava meios para servir a igreja de Cristo Jesus. E foi assim, em meio a tanta perseguição que Paulo disse em sua oração: "Por esta causa, me ponho de joelhos diante do Pai, de quem toma o nome toda família, tanto no céu como sobre a terra." Paulo faz a sua oração na certeza de que Deus tem uma família de Santos no céu, e uma família de santificados pelo sangue de Jesus aqui na terra, e zela por ela, e por amor a esta família aqui na terra Deus dispensará todo auxílio necessário para conduzir esta família à glória eterna.

Ao ensinar a oração em secreto, Jesus reprova a ostentação e o egoísmo; ao dar-nos um modelo de oração, reprova a “falação” sem significado. O modelo de Jesus aponta para uma comunhão significativa com Deus, reconhecendo-o como Deus amoroso, pessoal e poderoso.

Essa oração é para ser tanto um modelo, como Mateus fala: “Portanto, orareis assim” (Mt 6.9); como também, como ensina Lucas, deve ser uma forma de orar: “Quando orardes, dizei...” (Lc 11.2); isso quer dizer que devemos aprender essa oração e orá-la freqüentemente sem fazer dela uma “reza”; bem como aprender os seus princípios e aplicá-los às nossas orações e ações cotidianas.

Conscientes de tudo isso, seremos afetados de duas formas nas nossas orações: Reconheceremos a glória de Deus (o seu nome, reino e vontade – v.9,10) e dependeremos humildemente da graça de Deus ( o pão, o perdão e a vitória sobre a tentação – v.11-15). Orar assim muda as nossas prioridades, regula a nossa submissão a Deus e nos ensina a realmente falar com Deus quando e enquanto oramos.
Todos nós oramos por aquilo que nos preocupa, por aquilo que nós desejamos. Qual é a causa da sua oração? Você crê que esta causa já se encontra nas mãos do Senhor?

O profeta Jeremias escreveu: "Bem-aventurado é o homem que confia no Senhor... Ele será como
uma árvore plantada junto às águas, que estende suas raízes junto ao ribeiro. Ela não teme quando vem o calor, suas folhas permanecem sempre verdes. Ela não tem preocupações em um ano de seca e nunca deixa de dar frutos. Jeremias 17:7-8

O que o profeta está afirmando é que uma planta saudável precisa de raízes profundas que possam suportar o que acontece acima do solo; e nós precisamos ser raízes aprofundadas na Rocha que é o Senhor Jesus, junto às águas que é o Espírito Santo e só assim podermos resistir às tempestades, e provações. Precisamos estar firmes na pessoa de Cristo.

A causa do apóstolo Paulo era a igreja do Senhor e o fortalecimento espiritual dos irmãos em Cristo.
Era exatamente isto que Paulo pedia em suas orações, conforme ele mesmo diz: "para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior;". A preocupação de Paulo em sua oração era o crescimento espiritual dos cristãos. Ele orou pedindo a Deus que concedesse aos éfesos a força interior gerada pelos recursos ilimitados do Senhor. Através do Espírito que o Pai do céu havia dado aos cristãos. Paulo lutou por uma igreja forte, uma igreja que suportaria as tribulações, e que na hora das aflições ela elevasse os olhos para os céus e dissesse: “Elevo os meus olhos para o alto, de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do senhor que fez o céu e a terra”. (Salmos 121.1-2).
O anseio do apóstolo Paulo era para que cada cristão conhecesse a imensidão do amor de Deus; a sua largura, comprimento, altura e profundidade, (v18) e também tivessem conhecimento  do amor de Cristo que excede todo conhecimento, (v19); um amor que ultrapassa todo entendimento; e fossem cheios da plenitude de Deus.
O profeta Isaias também afirmou: “Mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão”.  Isaías 40.31

Como cristãos, precisamos também das asas espirituais que nos levará a voar acima das tempestades, para irmos pregar o Evangelho e para subirmos até a Deus em oração. Esperar no Senhor é confiar nossa vida plenamente às suas mãos. Significa depender dEle como nossa fonte de ajuda e de graça, em tempo de necessidade.

DEIXE SEU COMENTÁRIO !!!

Atenção:

Faça seu comentário dentro do assunto tratado acima;
Não divulgue endereço(s) de Sites ou Blogs;
Comentário que conterem divulgação serão moderados, somente serão aceitos links caso necessite de informar alguma fonte;
Proibido Spans;
Não faça Comentários Ofensivos, Ameaças, ou Termos preconceituosos.

OPINE, DÊ SUA SUGESTÃO, CONTATO, DÚVIDAS ETC. OBRIGADO DESDE JÁ !!!

Inscrever-se para Posts | Subscrever Comentários

Welcome to My Blog

Google+ Followers

ABOUT & SOCIAL

Postagens mais visitadas

- s; ESTUDO POSTAGEM PROFÉTICA -Missionario Francisco-Missionaria Fatima Blogger - Designed Fra e Fati Somos Uma Familia Missionaria -